“PROTEGEMOS VIDAS E PROPRIEDADES”
Empresas de inspeção nr13

“PROTEGEMOS VIDAS E PROPRIEDADES”
Empresas de inspeção nr13

Empresas de inspeção nr13

Se você está buscando EMPRESAS DE INSPEÇÃO NR13 você está no site certo, somos especialistas em inspeção NR13 em vasos de pressão, caldeiras, tubulações e tanques de armazenamento. Entre em contato com a nossa equipe pelo formulário de contato, botão de whats’app presente no site, telefone: (12) 3958-1661 ou pelo e-mail comercial@tercal.com.br e fale com um especialista em NR13. Atendimento 24 horas, 7 dias por semana, o orçamento será enviado em até 1 hora.

EXCELÊNCIA EM SERVIÇOS

A TERCAL ENGENHARIA atua no mercado de inspeção e manutenção industrial. Ao longo dos anos, consolidou-se por sua qualidade e confiança conquistadas, tornando-se referência na região. O comprometimento e a qualidade técnica de seu corpo de Engenheiros resulta em um trabalho de alto padrão, cumprindo todo o rigor exigido pelas normativas e legislações vigentes. Atuamos em todo o território nacional e temos carta de referência de grandes clientes que comprovam a qualidade dos nossos serviços.

SATISFAÇÃO GARANTIDA

A incansável busca pela melhora contínua dos nossos processos faz com que a TERCAL esteja sempre um passo à frente, tendo como combustível principal a satisfação integral dos nossos clientes e colaboradores. Nós acreditamos que a relação com os nossos  clientes deve ser  simples, transparente e duradoura, por isso nos esforçamos ao máximo na relação com o cliente, focando não somente na venda mas principalmente no pós-venda,  a fim de manter o cliente abrilhantando o nosso portfólio por anos.

DOCUMENTAÇÃO E CERTIFICAÇÕES

Os nossos colaboradores possuem toda a documentação necessária para trabalhar em sua empresa (ASO, PPRA,PCMSO, Ficha de Epi’s NR35, NR33, Certificados de formação entre outros). Atendemos à todos os requisitos de CREA e Ministério do Trabalho, além disso utilizamos os melhores EPI’s e equipamentos do mercado, trabalhamos com  uniformes que garantem a segurança e identificação do colaborador.

A TERCAL ENGENHARIA ESTÁ ENTRE AS MELHORES EMPRESAS DE INSPEÇÃO NR13

  • laudo de caldeiras e vasos de pressão;
  • laudo de inspeção de caldeiras;
  • laudo de inspeção de vaso de pressão;
  • treinamentos NR13;
  • dentre outros serviços.

Empresas de inspeção nr13

A NR 13 é a NR que estabelece requisitos mínimos para gestão da integridade estrutural de caldeiras a vapor, vasos de pressão, suas tubulações de interligação e tanques metálicos de armazenamento nos aspectos relacionados à instalação, inspeção, operação e manutenção, visando à segurança e à saúde dos trabalhadores. Aqui traremos maiores informações sobre cada um desses equipamentos.

CALDEIRAS

As caldeiras são amplamente utilizadas em estabelecimentos que necessitam do vapor para seus processos. Atualmente, o vapor de água é muito utilizado para a realização de trocas térmicas em indústrias, hotéis, hospitais, lavanderias, cozinhas industriais, entre outros. Por se tratar de um equipamento que trabalha sobre altas pressões, as caldeiras, para que tenham a segurança garantida, devem passar por inspeções periódicas, que devem ser realizadas por profissionais habilitados.

Caldeiras são equipamentos destinados a produzir e acumular vapor sob pressão superior à atmosférica, utilizando qualquer fonte de energia, projetados conforme códigos pertinentes.

VASOS DE PRESSÃO

Os vasos de pressão são utilizados em diversos processos atualmente e existem em números bem maiores que as caldeiras. Trabalhando com diversos tipos de fluido, os vasos são cruciais para o funcionamento da maior parte das indústrias nos dias de hoje. Por trabalharem sob pressão e, ainda, poderem trabalhar com fluidos tóxicos, inflamáveis ou combustíveis, para que tenham sua segurança garantida, devem ser inspecionados por profissionais habilitados.

Vasos de pressão são reservatórios projetados para resistir com segurança a pressões internas diferentes da pressão atmosférica, ou submetidos à pressão externa, cumprindo assim a sua função básica no processo no qual estão inseridos.

TUBULAÇÕES

As tubulações são elementos cruciais em qualquer processo industrial, uma vez que são as responsáveis por conduzir os fluidos dos processos aos quais estão inseridas. Por trabalharem com fluidos tóxicos, inflamáveis ou combustíveis, as tubulações acabam sendo a maior causa dos acidentes envolvendo pressão, no ambiente industrial, devido aos vazamentos. Por este motivo, elas devem ser rigorosamente inspecionadas, de modo a impedir que vazamentos e acidentes aconteçam.

Tubulação pode ser definida como um conjunto de linhas, incluindo seus acessórios, projetadas por códigos específicos, destinadas ao transporte de fluidos entre equipamentos de uma mesma unidade de uma empresa dotada de caldeiras ou vasos de pressão.

TANQUES METÁLICOS DE ARMAZENAMENTO

Tanques metálicos de armazenamento, perante a NR 13, são equipamentos de superfície destinados a armazenar e estocar fluidos na fase líquida, sejam eles produtos finais ou matérias primas, com pressão próxima à atmosférica, construídos de materiais metálicos e apoiados diretamente sobre o solo.

Cada um desses equipamentos é dotado de certas particularidades. Abaixo podem ser vistas algumas delas.

O QUE É IMPORTANTE SABER SOBRE CALDEIRAS?

  • Tipos de caldeira
  • Placa de identificação
  • Operação
  • Válvula de segurança
  • Categorias
  • Documentação obrigatória
  • Capacitação de operador
  • Indicador de pressão
  • Itens obrigatórios
  • Instalação
  • Inspeção de caldeira
  • Sistema de combustão

O QUE É IMPORTANTE SABER SOBRE VASOS DE PRESSÃO

  • Classe de fluido
  • Potencial de risco
  • Categoria
  • Itens obrigatórios
  • Instalação
  • Operação
  • Placa de identificação
  • Documentação obrigatória
  • Capacitação de operador
  • Inspeção de vaso de pressão
  • Dispositivo de segurança
  • Indicador de pressão

O QUE É IMPORTANTE SABER SOBRE TUBULAÇÕES

  • Tipos de fluidos
  • Fluxograma de engenharia
  • Inspeção de tubulação
  • Documentação obrigatória
  • Registro de segurança
  • Plano de inspeção
  • Programa de inspeção
  • Operação

O QUE É IMPORTANTE SABER SOBRE TANQUES METÁLICOS DE ARMAZENAMENTO

  • Classe de fluido
  • Capacidade
  • Condições operacionais
  • Folha de dados
  • Desenho geral
  • Mecanismos de danos previsíveis
  • Itens obrigatórios
  • Instalação
  • Inspeção de tanques metálicos de armazenamento
  • Dispositivos de segurança

Cada um desses equipamentos deve passar por inspeção periódica. A seguir estão alguns itens importantes que devem ser observados, em seus respectivos relatórios de inspeção.

RELATÓRIO DE INSPEÇÃO DE CALDEIRAS

  • Dados constantes na placa de identificação
  • Categoria da caldeira
  • Tipo da caldeira
  • Tipo de inspeção executada
  • Data de início e de término da inspeção
  • Descrição das inspeções, exames e testes
  • Registros fotográficos do exame interno da caldeira
  • Resultado das inspeções e providências necessárias
  • Parecer conclusivo quanto à integridade da caldeira
  • Data prevista para a próxima inspeção de segurança
  • Nome legível, assinatura e número de registro no conselho profissional do PH e nome legível e assinatura de técnicos que participaram da inspeção.

RELATÓRIO DE INSPEÇÃO DE VASOS DE PRESSÃO

  • Identificação de vaso de pressão
  • Categoria do vaso de pressão
  • Fluidos de serviço
  • Tipo do vaso de pressão
  • Tipo de inspeção executada
  • Data de início e término da inspeção
  • Descrição das inspeções, exames e testes executados
  • Registro fotográfico das anomalias
  • Resultado das inspeções e intervenções executadas
  • Recomendações e providências necessárias
  • Parecer conclusivo quanto a integridade do vaso de pressão
  • Data prevista para a próxima inspeção de segurança
  • Nome legível, assinatura e número do registro no conselho profissional do PH e nome legível e assinatura de técnicos que participaram da inspeção.

RELATÓRIO DE INSPEÇÃO DE TUBULAÇÕES

  • Identificação das linhas de tubulação
  • Identificação do sistema de tubulação
  • Fluidos de serviço da tubulação
  • Temperatura e pressão de operação
  • Tipo de inspeção executada
  • Data de início e de término da inspeção
  • Descrição das inspeções, exames e testes
  • Registro fotográfico das anomalias
  • Resultado das inspeções e intervenções executadas
  • Recomendações e providências necessárias
  • Parecer conclusivo quanto à integridade da tubulação
  • Data prevista para a próxima inspeção de segurança
  • Nome legível, assinatura e número do registro no conselho profissional do PH e nome legível e assinatura de técnicos que participaram da inspeção.

RELATÓRIO DE INSPEÇÃO DE TANQUES METÁLICOS DE ARMAZENAMENTO

  • Identificação de tanque metálico
  • Capacidade
  • Fluidos de serviço e temperatura de operação
  • Tipo de inspeção executada
  • Data de início e término da inspeção
  • Descrição das inspeções, exames e testes executados
  • Registro fotográfico das anomalias
  • Resultado das inspeções e intervenções executadas
  • Recomendações e providências necessárias
  • Parecer conclusivo quanto a integridade do vaso de pressão
  • Data prevista para a próxima inspeção de segurança
  • Nome legível, assinatura e número do registro no conselho profissional do PH e nome legível e assinatura de técnicos que participaram da inspeção.

Quando esses equipamentos são inspecionados corretamente, uma série de benefícios pode ser observada.

QUAIS OS BENEFÍCIOS DE REALIZAR AS INSPEÇÕES EM CALDEIRAS, VASOS DE PRESSÃO, TUBULAÇÕES E TANQUES METÁLICOS DE ARMAZENAMENTO?

PREVENÇÃO CONTRA MULTAS

Ao realizar a inspeção de caldeiras, vasos de pressão, tubulações e tanques metálicos de armazenamento, o relatório de inspeção contém as recomendações necessárias para a adequação do equipamento perante às legislações em vigor, de modo que a empresa tenha conhecimento das ações a serem tomadas visando não serem multadas pelos órgãos reguladores.

PREVENÇÃO DE ACIDENTES

Quando as inspeções de caldeiras, vasos de pressão, tubulações e tanques metálicos de armazenamento estão dentro do prazo, os riscos de acidentes diminuem significativamente. Com essa ação, você protege seus colaboradores e o ambiente do seu empreendimento de possíveis acidentes.

PREVENÇÃO DE NÃO CONFORMIDADES

Ao realizar as inspeções nas caldeiras, vasos de pressão, tubulações e tanques metálicos de armazenamento, você garante a aprovação em fiscalizações do corpo de bombeiros, do Serviço de Inspeção do Trabalho (antigo MTE) e auditorias internas e externas, de modo que sua empresa esteja sempre regular perante aos órgãos responsáveis.

Esses equipamentos devem passar por inspeções que podem ser periódicas, iniciais ou extraordinárias. Mas quando cada uma delas deve acontecer?

QUANDO DEVO FAZER A INSPEÇÃO DE CALDEIRAS?

Toda empresa que possua caldeiras precisa atender às exigências descritas na Norma Regulamentadora NR 13. Ela estabelece requisitos mínimos para gestão da integridade estrutural de caldeiras a vapor nos aspectos relacionados à instalação, inspeção, operação e manutenção, visando à segurança e à saúde dos trabalhadores. Confira abaixo quando cada tipo de inspeção deve ser realizada.

INSPEÇÃO INICIAL

Este tipo de inspeção deve ser realizada em caldeiras novas, antes de sua entrada em funcionamento, no local definitivo de instalação, devendo conter:

  • Exame interno
  • Teste de estanqueidade
  • Exame externo

INSPEÇÃO PERIÓDICA

A inspeção de segurança periódica, constituída por exames interno e externo, deve ser executada nos seguintes prazos máximos:

  • 12 meses para caldeiras de categorias A e B
  • 15 meses para caldeira de recuperação de álcalis de qualquer categoria

INSPEÇÃO EXTRAORDINÁRIA

A inspeção de segurança extraordinária deve ser feita nas seguintes oportunidades:

  • Sempre que a caldeira sofrer danos capaz de comprometer sua segurança
  • Quando for submetida à alteração ou reparo capaz de alterar sua segurança
  • Quando for recolocada em funcionamento após 6 meses de inatividade
  • Quando houver mudança de local de instalação do equipamento

INSPEÇÃO DE VIDA REMANESCENTE

Ao completar 25 anos de uso, durante a sua próxima inspeção, a caldeira deve ser submetida a uma avaliação de integridade com maior abrangência para determinar sua vida remanescente e novos prazos máximos para inspeção, caso ainda esteja em condições de uso.

QUANDO DEVO FAZER A INSPEÇÃO DE VASOS DE PRESSÃO?

Toda empresa que possua vasos de pressão precisa atender às exigências descritas na Norma Regulamentadora NR 13. Ela estabelece requisitos mínimos para gestão da integridade estrutural de vasos de pressão nos aspectos relacionados à instalação, inspeção, operação e manutenção, visando à segurança e à saúde dos trabalhadores. Confira abaixo quando cada tipo de inspeção deve ser realizada.

INSPEÇÃO INICIAL

Este tipo de inspeção deve ser realizada em vasos de pressão novos, antes de sua entrada em funcionamento, no local definitivo de instalação, devendo compreender exames externo e interno.

Na falta de comprovação documental de que o Teste Hidrostático TH tenha sido realizado na fase de fabricação, se aplicará o disposto a seguir:

  • Para os vasos de pressão fabricados ou importados a partir da vigência da Portaria MTE n.º 594, de 28 de abril de 2014, o TH deve ser feito durante a inspeção de segurança inicial.
  • Para os vasos de pressão em operação antes da vigência da Portaria MTE n.º 594, de 28 de abril de 2014, a execução do TH fica a critério do PH e, caso seja necessária à sua realização, o TH deve ser realizado até a próxima inspeção de segurança periódica interna.
  • Para os vasos de pressão fabricados ou importados a partir da vigência da Portaria MTE n.º 594, de 28 de abril de 2014, o TH deve ser feito durante a inspeção de segurança inicial.
  • Para os vasos de pressão em operação antes da vigência da Portaria MTE n.º 594, de 28 de abril de 2014, a execução do TH fica a critério do PH e, caso seja necessária à sua realização, o TH deve ser realizado até a próxima inspeção de segurança periódica interna.

INSPEÇÃO PERIÓDICA

A inspeção de segurança periódica, constituída por exames externo e interno, deve ser realizada com base nas normas técnicas vigentes, além da NR 13, tendo seu prazo de inspeção definido pelo PH, não podendo exceder aos prazos máximos estabelecidos na NR 13.

INSPEÇÃO EXTRAORDINÁRIA

A inspeção de segurança extraordinária deve ser feita nas seguintes oportunidades:

  • Sempre que o vaso de pressão for danificado por acidente ou outra ocorrência que comprometa sua segurança.
  • Quando o vaso de pressão for submetido a reparo ou alterações importantes, capazes de alterar sua condição de segurança.
  • Antes do vaso de pressão ser recolocado em funcionamento, quando permanecer inativo por mais de 12 (doze) meses.
  • Quando houver alteração do local de instalação do vaso de pressão, exceto para vasos móveis.

QUANDO DEVO FAZER A INSPEÇÃO DE TUBULAÇÕES?

Toda empresa que possua tubulações ligadas a caldeira ou vaso de pressão, contendo fluido classe A ou B, precisa atender às exigências descritas na Norma Regulamentadora NR 13. Ela estabelece requisitos mínimos para gestão da integridade estrutural de vasos de pressão nos aspectos relacionados à instalação, inspeção, operação e manutenção, visando à segurança e à saúde dos trabalhadores. Confira abaixo quando cada tipo de inspeção deve ser realizada.

INSPEÇÃO INICIAL

Este tipo de inspeção deve ser realizada nas tubulações antes de sua entrada em funcionamento, no local definitivo de instalação, devendo conter:

  • Teste de estanqueidade
  • Exame externo

INSPEÇÃO PERIÓDICA

As inspeções periódicas das tubulações devem ser constituídas de exames e análises definidas por PH, que permitam uma avaliação da sua integridade estrutural de acordo com normas e códigos aplicáveis.

A periodicidade das inspeções de segurança deve estar de acordo com o programa de inspeção, que pode ser elaborado por tubulação, por linha ou por sistema. No caso de programação por sistema, o intervalo a ser adotado deve ser correspondente ao da sua linha mais crítica.

INSPEÇÃO EXTRAORDINÁRIA

A inspeção de segurança extraordinária deve ser feita nas seguintes oportunidades:

  • Sempre que a tubulação for danificada por acidente ou outra ocorrência que comprometa a segurança dos trabalhadores.
  • Quando a tubulação for submetida a reparo provisório ou alterações significativas, capazes de alterar sua capacidade de contenção de fluído.
  • Antes da tubulação ser recolocada em funcionamento, quando permanecer inativa por mais de 24 (vinte e quatro) meses.

QUANDO DEVO FAZER A INSPEÇÃO DE TANQUES METÁLICOS DE ARMAZENAMENTO?

Toda empresa que possua tanques metálicos de armazenamento precisa atender às exigências descritas na Norma Regulamentadora NR 13. Ela estabelece requisitos mínimos para gestão da integridade estrutural de tanques metálicos de armazenamento nos aspectos relacionados à instalação, inspeção, operação e manutenção, visando à segurança e à saúde dos trabalhadores. Os tanques devem passar pelas inspeções inicial, periódica e extraordinária.

Assista nosso vídeo e descubra a importância de atender a todos os requisitos da NR-13 e veja como simplificarmos a Gestão norma regulamentadora de sua Empresa e como podemos te ajudar com o nosso serviço de inspeção NR13.

Fale com um Especialista em inspeção NR13

A Tercal Engenharia

A TERCAL ENGENHARIA atua no mercado de inspeção NR13 e manutenção industrial. Ao longo dos anos, consolidou-se por sua qualidade e confiança conquistadas, tornando-se referência na região. O comprometimento e a qualidade técnica de seu corpo de engenheiros resulta em um trabalho de alto padrão, cumprindo todo o rigor exigido pelas normativas e legislações vigentes.

A inteligência utilizada em sua metodologia de trabalho inovadora faz com que consiga oferecer um serviço de qualidade, ágil e com preço competitivo frente ao mercado. A incansável busca pela melhora contínua de seus processos faz com que a empresa esteja sempre um passo a frente, tendo como combustível principal a satisfação integral de seus clientes e colaboradores.

Saiba um pouco sobre os dados de destaque de nossa empresa no mercado:

Caldeiras Inspecionadas: 245
Vasos de Pressão Inspecionados: 2.853
Não conformidades levantadas: 4.223
Valor economizado: R$ 35.198.272,13(desde maio de 2018)
Colaboradores Treinados: 431
Empresas atendidas: 267 (04/2015 para cá)
Atuação de Experiência: +10 anos

profissional habilitado nr13

SOMOS LÍDER EM INSPEÇÕES

Somos a empresa que mais realizou inspeções no Vale do Paraíba em 2020.

ENGENHARIA INOVADORA

Saiba como a inovação aplicada à Engenharia está facilitando a Gestão NR13

ANÁLISE DE DADOS

A análise de dados com a aplicação da Engenharia inteligente permite que as empresas tomem decisões mais assertivas com relação à NR13.

Relatório de Inspeção via QR-code

Acabe com a papelada!

Implantação de sistema QR CODE em sistema nuvem, documentação digital com assinatura eletrônica para você acessar todos os relatórios e documentos da sua inspeção nr13 e operação de vasos de pressão, caldeiras e tubulações.

O objetivo de facilitar a gestão documental, otimizar espaço e proteger o meio ambiente.

Nossos Serviços

Diferenciais-Tercal-Engenharia
Diferenciais-Tercal-Engenharia
Diferenciais-Tercal-Engenharia-2

Inspeção NR 13 – Norma Regulamentadora Nº. 13 (NR-13)

A norma regulamentadora foi originalmente editada pela Portaria MTb nº 3.214, de 8 de junho de 1978, com o título “Vasos sob pressão”, de forma a regulamentar os artigos 187 e 188 da CLT, conforme redação dada pela Lei n.º 6.514, de 22 de dezembro de 1977.

Para esta norma, foi constituída a Comissão Nacional Tripartite Temática da NR-13 (CNTT-NR13), por meio da Portaria SIT nº 234, de 09 de junho de 2011, com vistas a promover o acompanhamento da sua implementação.

Conforme critérios da Portaria/SIT nº 787, de 27 de novembro de 2018, a Norma Regulamentadora NR-13 é definida como Norma Especial, ou seja, é uma norma que regulamenta a execução do trabalho considerando as atividades, instalações ou equipamentos empregados, sem estar condicionada a setores ou atividades econômicos específicos.

Ao longo dos seus quarenta e dois anos de existência, a NR-13 passou por oito processos de revisão e teve seu título alterado algumas vezes. Dentre as alterações da NR-13, algumas foram de fundamental importância e de grande impacto.

A primeira revisão foi perpetrada pela Portaria SSMT nº 12, de 06 de junho de 1983, com alteração total da NR-13, que passou a se chamar “Caldeiras e Vasos sob pressão”. Nessa revisão, destaca-se a separação entre as medidas a serem adotadas em relação às caldeiras e aos vasos de pressão.

Em seguida, a Portaria SSMT nº 02, de 08 de maio de 1984 promoveu nova alteração total da NR13 – Caldeiras e Recipientes sob pressão. Nessa revisão, foram estabelecidas mais exigências para equipamentos que operavam com pressões mais elevadas.

Em 27 de dezembro de 1994, a Portaria SSST nº 23 alterou totalmente a NR13 – Caldeiras e Vasos de pressão.

Essa revisão de 1994 foi a primeira experiência de revisão completa de uma norma regulamentadora pela sistemática tripartite. Caracterizou-se como projeto piloto, que serviu como referência para criação do que, à época, foi chamada de “NR zero” ou a “norma de fazer normas”, publicada pela Portaria MTb nº 393, de 09 de abril de 1996, que adotou o tripartismo como metodologia oficial de regulamentação em Segurança e Saúde no Trabalho (SST) no Brasil. Além disso, também no mesmo período, a Portaria SSST nº 2,, de 10 de abril de 1996, instituiu a criação da Comissão Tripartite Paritária Permanente – CTPP como instância tripartite para definição social das prioridades de regulamentação em SST.

Posteriormente, a Portaria MTb nº 393/1996 foi substituída pela Portaria MTE nº 1.127,, de 02 de outubro de 2003, de maneira a aperfeiçoar a metodologia do tripartismo.Com essa portaria, criou-se a possibilidade de manutenção do grupo de trabalho responsável pela revisão da norma, mesmo após finalizados seus trabalhos, com vistas a promover o acompanhamento e a implementação da nova regulamentação. Posteriormente, com a publicação da Portaria SIT nº 186, de 28 de maio de 2010, que estabeleceu o regimento das Comissões Nacionais Tripartites Temáticas – CNTT, e da Portaria MTE nº 1.473, de 29 de junho de 2010, que alterou a Portaria MTE nº 1.127/2003, essa atribuição passou a ser exercida expressamente pelas CNTT.

Na revisão de 1994 da NR-13, foram definidos os equipamentos que estavam incluídos no escopo da norma e que deveriam seguir os parâmetros por ela estabelecidos. Foram ainda incluídas as definições de categorias de caldeiras com exigências específicas e foi incluído também o controle social por meio do envolvimento dos sindicatos no acompanhamento das medidas de segurança previstas na Norma.

Ainda em 1994, foi criado o Serviço Próprio de Inspeção de Equipamentos – SPIE, com certificação do INMETRO, a primeira certificação de serviço feita no Brasil e que possibilitou a toda empresa que mantivesse o seu serviço de inspeção certificado ampliar os prazos de inspeção dos equipamentos NR-13.

Para essa revisão, foi criado o primeiro manual para esclarecimentos e orientação sobre a NR-13.

Em 2014, a Portaria MTE nº 594, de 28 de abril de 2014, promoveu nova alteração total da NR-13, que passou a se chamar “Caldeiras, Vasos de Pressão e Tubulações”, restando incorporado na norma o tema de tubulações. Para essa revisão, foi feito um amplo para definição dos temas que deveriam ser revisados na NR-13. Essa revisão foi aprovada na 75ª Reunião Ordinária da CTPP, realizada em 26 e 27/11/2013.

Nessa revisão, foi estabelecido, para os equipamentos não enquadrados na NR13, que suas inspeções deveriam ser feitas conforme código específico de fabricação ou recomendação dos fabricantes.

Para essa revisão de 2014, foram elaborados para esclarecimento das principais dúvidas referentes à Inspeção NR13.

Dentre os assuntos levantados no processo de consulta pública para a revisão da NR13, em 2014, alguns pontos ainda não foram incluídos no texto da Norma devido à inexistência de condições técnicas para sua implementação, como: definição de metodologia de inspeção de equipamentos baseada em risco – IBR, que possibilitará melhor acompanhamento e avaliação de equipamentos e estabelecimento de prazos de inspeção mais adequados à realidade de cada equipamento; e estabelecimento de critérios técnicos que possibilite a certificação compulsória de dispositivos de segurança PSV (válvulas) para equipamentos incluídos na NR 13, dentre outros. Esses pontos deverão ser considerados em futuras revisões.

Na sequência, a Portaria MTb nº 1.084, de 28 de setembro de 2017, alterou parcialmente a norma da inspeção NR13, tendo sido mantido o mesmo título. Na revisão de 2017, aprovada na 88ª Reunião Ordinária da CTPP, em 28 e 29/03/2017, foram realizadas: a incorporação da metodologia de Inspeção Não Intrusiva – INI; a incorporação de equipamentos que trabalham a vácuo; e a previsão de medidas para regularização de vasos fabricados fora dos parâmetros dos códigos de fabricação.

A Portaria MTb nº 1.082, de 18 de dezembro de 2018, também realizou alteração parcial da NR-13, conferindo-lhe o novo título “Caldeiras, Vasos de Pressão, Tubulações e Tanques Metálicos de Armazenamento”, título que mantém até hoje.

A revisão de 2018, aprovada na 95ª Reunião Ordináriaa CTPP, realizada em 21 e 22/11/2018, incluiu na NR-13 os tanques metálicos de armazenamento, além de prever a possibilidade de ampliação dos prazos de inspeção para caldeiras que disponham de barreira de proteção implementada por meio de Sistema Instrumentado de Segurança – ­SIS, definido por estudos de confiabilidade auditados por Organismo de Certificação de SPIE.

Nessa revisão também foi estabelecida a certificação voluntária de competências do Profissional Habilitado (PH), responsável pela inspeção dos equipamentos previstos na NR-13.

Para o entendimento da importância dessa alteração, cabe referir que, anteriormente, a Resolução/CFE/MEC/nº 48/1976 definia os currículos mínimos para formação acadêmica nas áreas da Engenharia, sendo que ao cumprir esse currículo o profissional recebia, através do seu respectivo conselho profissional, as atribuições profissionais relativas à sua modalidade, sem qualquer restrição.

Entretanto, a Resolução/CNE/CES nº 11/2002, que implantou as Diretrizes Curriculares dos Cursos de Engenharia, aboliu os currículos mínimos e deu maior autonomia e liberdade para as instituições de ensino superior definirem seus próprios currículos. Consequentemente, o título profissional acadêmico perdeu a “correlação perfeita” com o conteúdo ensinado pelas universidades,

A situação atual é que não há correlação entre conteúdo da formação acadêmica, o título acadêmico obtido e as atribuições profissionais estabelecidas pelos conselhos profissionais, que não consideram essas deficiências nos conteúdos de formação acadêmica, fator que torna relevante a certificação voluntária de competências do PH para exercer as atribuições definidas na NR-13.

Por fim, a Portaria SEPRT nº 915, de 30 de junho de 2019, altera parcialmente a NR-13, fazendo sua harmonização e simplificação em relação à nova NR-01 – Disposições Gerais. Essa revisão de 2019 foi aprovada na 97ª Reunião Ordinária da CTPP, realizada em 04 e 05/06/2019.

  • A NR 13 se aplica aos seguintes equipamentos:
  • Caldeiras a vapor;
  • Vasos de pressão cujo produto P.V seja superior a 8 (P é a pressão máxima de operação em kPa e V o seu volume interno em m3)
  • Vasos de pressão que contenham fluido da classe A, especificados no item 13.5.1.2, alínea “a)”, independente das dimensões e do produto P.V;
  • Recipientes móveis com P.V superior a 8 ou com fluido da classe A, especificados no item 13.5.1.2, alínea “a)”;
  • Tubulações ou sistemas de tubulação ligados a caldeiras ou vasos de pressão, categorizados, conforme subitens 13.4.1.2 e 13.5.1.2, que contenham fluidos de classe A ou B conforme item 13.5.1.2, alínea ‘a’.

A NR 13 destaca também a necessidade de análise técnica e de criação de medidas de contingência para mitigação de riscos.

E como pode-se observar em qualquer sistema de gestão, há a necessidade de melhoria contínuaPor meio dela permite-se que sejam utilizadas tecnologias de cálculo ou procedimentos mais avançados em substituição aos previstos pelos códigos de projeto.

A norma obriga o registro e implementação de recomendações decorrentes das inspeções de segurança para vasos de pressão, com a determinação de prazos e responsáveis pela execução.

Tercal Engenharia – A melhor opção em inspeção NR13 para sua Empresa!

Documentação exigida pela NR13 para caldeiras, vasos de pressão, tubulações e tanques de armazenamento:

Ainda não tem a última revisão da NR-13? Baixe agora mesmo, é gratuito!

Receba dicas do time da TERCAL ENGENHARIA, diretamente na sua caixa de entrada!
BAIXAR NORMA
close-link