inspeção de caldeiras

Inspeção de Caldeira

A TERCAL é especializada em inspeção de integridade estrutural de equipamentos estáticos e dinâmicos, A inspeção de caldeiras vai muito além de evitar multas e penalidades por parte do Ministério do Trabalho (Ditada pela NR-28).

No Brasil a norma que rege a inspeção em caldeiras é a NR13, e a mesma dita os requisitos mínimos para segurança na operação destes equipamentos. Existem 4 tipos de inspeções que podem ser realizadas em caldeiras para avaliar a sua integridade estrutural em e determinadas pela NR13 e cada uma deve ser realizada em oportunidades pré-definidas nos itens da norma. O item 13.4 da NR13 descreve todos assuntos relacionados a Caldeiras. Os itens 13.1, 13.2 e 13.3 falam de assuntos gerais para Caldeiras, vasos de pressão e tubulações. Abaixo abordamos os tipos de inspeção e quando elas devem ser aplicadas.

INSPECAO-INICIAL-NR13-CALDEIRAS

Caldeiras: inspeção conforme a NR 13

INSPEÇÃO INICIAL 

A Inspeção de segurança inicial deve ser realizada em caldeiras novas, antes de ser colocada em operação no local definitivo de instalação. Deve ser realizado inspeção externa, inspeção interna e teste hidrostático para comprovar a estanqueidade do equipamento. Habitualmente a TERCAL realiza montagem de caldeiras e acompanha seu start-up realizando este tipo de Inspeção de Caldeiras com qualidade comprovada e profissionais comprometidos com a segurança na operação de caldeiras.

INSPEÇÃO PERIÓDICA

A Inspeção de segurança periódica deve ser realizada em caldeiras de categoria “A” e “B”, antes do laudo de inspeção anterior vencer, visto que o atraso na inspeção de segurança periódica é definido com RGI – Risco grave e Iminente e o equipamento não deve ser operado até que, seja realizada a inspeção de segurança periódica e o equipamento seja liberado pela TERCAL para operação. Deve ser realizado inspeção externa, inspeção interna e o teste hidrostático fica a critério do PH, sendo executado caso a caso. Habitualmente a TERCAL realiza manutenção de caldeiras e elabora o PAR – Projeto de alteração e reparo, Com qualidade comprovada e profissionais comprometidos com a segurança na operação de caldeiras.

INSPEÇÃO DE INTEGRIDADE ESTRUTURAL

Diz-se que um equipamento esta integro quando atende ás funções pelas quais o mesmo foi projetado. Suporte os carregamentos máximos de trabalho, e apresente um comportamento confiável no que condiz a sua previsibilidade e repetibilidade nos ciclos de operação que forem necessários para sua vida útil de serviço. A avaliação de integridade estrutural é o empenho de técnicas e procedimentos que permitem acompanhar e estabelecer a situação de dano a estrutura para prever sobre quaisquer comportamentos futuros e indicar sua necessidade de monitoramento, recuperação, reforço ou até retirada de funcionamento das caldeiras.

INSPEÇÃO EXTRAORDINÁRIA

A Inspeção de segurança extraordinária deve ser realizada em caldeiras de categoria “A” e “B, sempre que a caldeira for danificada por acidente ou ocorrência que comprometa a segurança na operação do equipamento, quando a caldeira for submetida a alteração ou reparo que modique as condições iniciais pré determinadas pelo fabricante, capazes de interferir nas condições de segurança do equipamento, Nestes casos deverá ser elaborado um PAR – projeto de alteração e reparo realizado por empresa especializada com ART – de PH na NR-13. Antes da caldeira ser recolocada em funcionamento, se a mesma permaneceu por mais de 6 meses fora de operação. Quando houver a mudança de layout ou local de instalação da caldeira.

TENHO UMA CALDEIRA, QUE SE ENQUADRA NA NR13, E AGORA?

Inspeção em caldeira é um tema de extrema importância, sabendo disso a TERCAL ENGENHARIA fornece uma solução completa para todas as suas necessidades de inspeção em caldeiras. Se você é gerente de manutenção, técnico de segurança e possui uma caldeira instalada em seu processo produtivo é fundamental que a sua empresa atenda a todos os requisitos da NR13, para garantir a segurança dos seus colaboradores e do seu processo. Nesse artigo falaremos um pouco mais sobre a inspeção em atendimento à NR13.

O que é uma caldeira?

Uma caldeira é um recipiente fechado no qual a água ou outro fluído é aquecido com o objetivo de gerar vapor e energia para determinado processo produtivo. Nota-se que muitas empresas utilizam o vapor para gerar energia para máquinas e equipamentos.

De acordo com a NR13 Caldeiras a vapor são equipamentos destinados a produzir e acumular vapor sob pressão superior à atmosférica, utilizando qualquer fonte de energia, projetados conforme códigos pertinentes, excetuando-se refervedores e similares.

Classificação das caldeiras perante a NR-13

Categoria A

a) caldeiras da categoria A são aquelas cuja pressão de operação é igual ou superior a 1960 kPa (19,98 kgf/cm2), com volume superior a 50 L (cinquenta litros);

Categoria B

b) caldeiras da categoria B são aquelas cuja a pressão de operação seja superior a 60 kPa (0,61 kgf/cm2) e inferior a 1960 kPa (19,98 kgf/cm2), volume interno superior a 50 L (cinquenta litros) e o produto entre a pressão de operação em kPa e o volume interno em m³ seja superior a 6 (seis).

Exemplo de combustíveis de caldeiras

Líquidos

  • Óleo diesel
  • Óleo de xisto
  • Óleo BPF
  • Outros derivados do petróleo

Gasosos

  • GN- Gás natural
  • GLP – Gás liquefeito de petróleo
  • Gás de auto forno
  • Hidrogênio

Sólidos

  • Briquete
  • Cavaco
  • Lenha
  • Biomassa em geral
  • Bagaço de cana de açúcar

Acessórios para Inspeção de Caldeira

Dispositivos de alimentação:

  • Injetam água na caldeira
  • Devem vencer a perda de carga total no sistema (Tubulação, válvulas, etc.);

Normalmente divididos em 03 aparelhos;

  • Bombas Centrífugas
  • Bombas Alternativas
  • Injetores

Visor de Nível

  • Permite controlar Visualmente o nível da água no interior da caldeira;
  • RGI – ausência de dispositivo operacional de controle de nível de água da caldeira;
  • Recomenda-se que o visor seja drenado a cada início de turno;

Controlador de Nível

Controlam o nível da água (Eletrodos ou sistemas de bóia);

 RGI – sistema automático de controle de nível de água com intertravamento que evite o superaquecimento por alimentação deficiente;

Recomenda-se que a garrafa seja drenada (Lama na garrafa e água turva no visor)

inspeção caldeira

Indicadores de Pressão

Utilizados para medir a pressão interna da Caldeira (MANÔMETRO);

RGI – Instrumento que indique a pressão do valor acumulado;

calibração de manômetro

Pressostatos

Pressostato de Modulação

Modifica a vazão do combustível e do ar secundário, alternando chama alta e baixa do sistema queimador;

Pressostato de Máxima

Faz parte do sistema de segurança da caldeira; Desliga automaticamente o sistema quando atinge a pressão máxima de trabalho;

lvula Principal de Saída de Vapor

Permite a vazão de todo vapor produzido pela caldeira;

Geralmente são utilizados válvulas globo;

Válvulas gavetas são menos usadas quando não se tem rigoroso controle de vazão.

Válvulas de Segurança

Evitar elevação da pressão acima do limite especificado no projeto;

RGI – Falta de PSV com pressão de ajuste em valor igual ou inferior à PMTA;

RGI – Dispositivo de contra bloqueio inadvertido a montante da PSV, conforme NR-13 subitem 13.3.1 alínea “c”;

As PSV’s devem ter saída para fora da área / casa das caldeiras;

Devem ser testadas diariamente puxando as alavancas com toda pressão de trabalho da caldeira;

válvulas de segurança
  • Válvula de Alimentação

    Permite ou interrompe o suprimento de água na Caldeira;

  • Válvula de Retenção

    Evita o retorno de água sob pressão do interior da caldeira;

válvulas de descarga

Válvula de Descarga

Descarga rápida;

Permite a purga da caldeira ocasionando a desconcentração do equipamento;

Detector de Chamas

Detector de Chamas

Detectar a luminosidade da chama emitindo um pulso elétrico;

Protegem falhas acidentais de chama ou falha de ignição;

Acessórios Caldeiras

A norma regulamentadora Número 13 do Ministério do Trabalho e Emprego do Brasil, foi criada em oito de junho de 1978 e tem como objetivo regulamentar a inspeção em caldeira e vasos de pressão.

Como fazer a inspeção de caldeiras?

  • Exame visual externo;
  • Exame visual interno;
  • Medições de espessura por ultrassom, se necessário;
  • Ensaio com líquido penetrante das soldas, se necessário;
  • Relatório fotográfico do equipamento, quando possível;
  • Cálculos de PMTA (Pressão Máxima de Trabalho Admissível);
  • Testemunho do teste hidrostático, quando possível a execução;
  • Testemunho de testes operacionais e das válvulas de segurança;
  • Recomendações de possíveis reparos;
  • Fornecimento de placa de identificação atualizada;
  • Fornecimento e abertura de Livro de Registro de Segurança;
  • Elaboração de Relatório Técnico com todas as informações da inspeção;

Exame Visual Externo

  • Verificação COSTADO do Equipamento se está ou não em bom estado de conservação. Verificação de Pontos de Corrosão e Pintura;
  • Verificação dos TAMPOS do Equipamento se está ou não em bom estado de conservação ou se apresentam corrosão;
  • Verificação das SOLDAS em Geral;
  • Verificação da BASE DE SUSTENTAÇÃO do Equipamento.

Exame Visual Interno

  • Verificação das Paredes, Verificação de ANOMALIAS e DEFORMAÇÕES do Equipamento;
  • Verificação de Pontos de Corrosão, e possíveis agentes (Físico-Químico) que possam interferir no processo produtivo;
  • Medições de espessura por ultrassom.

Qual o profissional habilitado para fazer inspeção em caldeiras?

Conforme a decisão normativa 45 de 16 de dezembro de 1992, as atividades de projeto, fabricação, instalação, manutenção, de caldeiras e vasos de pressão só podem ser realizadas por profissionais da área da Engenharia Mecânica

Precisa de Inspeção na sua Caldeira?

Somos especialistas em inspeção de caldeiras em atendimento à NR13, entre em contato conosco e solicite um orçamento ou vista técnica.

– Fornecimento de documentos por meio digital e físico.

– Emissão do Relatório de Inspeção + Certificado de calibração dos componentes de segurança após conclusão dos serviços;

–(A Anotação de Responsabilidade Técnica – ART – CREA-SP, será emitida e entregue junto ao laudo).

Exemplo de combustíveis de caldeiras

Líquidos

  • Óleo diesel
  • Óleo de xisto
  • Óleo BPF
  • Outros derivados do petróleo

Gasosos

  • GN- Gás natural
  • GLP – Gás liquefeito de petróleo
  • Gás de auto forno
  • Hidrogênio

Sólidos

  • Briquete
  • Cavaco
  • Lenha
  • Biomassa em geral
  • Bagaço de cana de açúcar